Após superar depressão e entrar no serviço público, jovem doa 1º salário para abrigo no Amapá

Ações, Pelo País, Serviço Público

A agente de trânsito e estudante de direito Izanila de Souza, de 25 anos, cumpriu a terceira promessa feita na vida dela: doou o primeiro salário como servidora pública – quase um salário-mínimo – para a Casa da Hospitalidade, um abrigo localizado em Santana, a 17 quilômetros de Macapá.

Izza, como também é conhecida, é “concurseira” desde que saiu do ensino médio. Em busca de realizar o sonho de ser servidora pública, ela se inscreveu para o concurso da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (STTrans) de Santana para agente de trânsito em junho de 2019.

Para conquistar o sonho e fazer a promessa ser cumprida, ela focou nos estudos.

“Era um sonho que eu tinha desde os 18 anos, quando saí do ensino médio. Comecei a estudar para concursos nessa época, porque se tornar um servidor público garante estabilidade, então resolvi fazer a promessa e ajudar quem precisa, assim como também já fui ajudada”, contou.

A posse dela aconteceu no mês de fevereiro e a entrega do primeiro salário para a casa filantrópica aconteceu no dia 17 de março.

Izza contou que no momento em que pensou em fazer promessa, a primeira instituição que pensou em beneficiar foi a Casa da Hospitalidade. Ela já havia feito doações de brinquedos para crianças e adolescentes que moram no local, enquanto trabalhava no Conselho Tutelar do município. Ela diz que sempre sentiu uma “ligação” com o lugar.

A agente descreve a que própria trajetória foi construída com muita superação. Ela diz que ser aprovada num concurso público foi a terceira promessa cumprida.

A primeira foi comprar o próprio carro cor-de-rosa. Ela ganhou uma ação judicial contra uma empresa de telefonia móvel e conseguiu dinheiro suficiente para realizar o sonho.

Em outubro de 2018, Izza também pode agradecer outra conquista: a casa própria. Ela mora na Zona Oeste de Macapá, com o marido, o filho e uma prima. Em agradecimento, ela andou descalça no Círio de Nazaré e levou uma representação da residência.

“Sempre tive que fazer muito esforço. Antes de ser servidora pública, trabalhei como atendente de telemarketing, juntei dinheiro e consegui comprar minhas coisas”, frisou.

Izza nasceu no interior do Pará, no município de Chaves, onde os pais dependiam da pesca para sobreviver. A ribeirinha precisou se mudar para o Amapá aos 12 anos, para se formar no ensino médio e concluir os estudos.

“Aos 18 anos também tive que superar a depressão, então resolvi dar um rumo na minha vida. Comecei a estudar e tentar entrar no serviço público. Lembro que para fazer a prova da STTrans uma amiga me ajudou com a passagem de ônibus e a família me ajudou com uns exames, por isso sou muito grata”, explicou.

Com a terceira promessa cumprida, a agente diz que os sonhos não param: ela pretende se especializar em segurança pública e ainda fazer carreira como policial civil ou militar. Izza contou ajudar entidades sociais continua como uma missão para ela.

“A gente tem que dar o melhor de si para o outro. Eu sempre recebi ajuda, então não tem motivo para não fazer o bem. A gente colhe o que planta”, finalizou.

 

FONTE ORIGINAL DA MATÉRIA: G1

Leia também!

I Encontro de Lideranças de Carreiras Públicas do SUS foi realizado

No dia 24 de maio de 2022 ocorreu o evento live "I Encontro de Lideranças de Carreiras Públicas do

Read More...

Transição Energética foi tema de evento realizado pela Agência Servidores

Mas afinal, o que falta para o Brasil estar acelerado de fato na transição energética ?  Esse foi o

Read More...

Reforma tributária: Sindireceita acompanha leitura de novo relatório da PEC 110 no Senado

O diretor de Assuntos Parlamentares do Sindireceita, Sergio Castro acompanhou, na manhã desta quarta-feira, dia 23, na Comissão de

Read More...

Mobile Sliding Menu