Diretor da OMS reforça políticas públicas após declaração de Bolsonaro

Mundo, No Governo

O Diretor-Geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, voltou a pedir políticas públicas para trabalhadores mais prejudicados em meio à crise econômica desencadeada no contexto da pandemia do Covid-19. Depois de tomar conhecimento de uma análise distorcida da fala dele pelo presidente Jair Bolsonaro, Tedros reiterou, nesta terça-feira 31/03), a necessidade de espírito de solidariedade aos mais vulneráveis, afastando a interpretação feita pelo presidente da República de que os governantes devem flexibilizar as medidas de isolamento para esse público. 

“Pessoas sem receitas regulares ou nenhuma reserva financeira merecem políticas sociais que assegurem a dignidade e permitam que cumpram medidas de saúde pública contra o Covid-19 passadas pelas autoridades de saúde nacional e pela OMS”, postou Tedros na página pessoal do Twitter. Ele reforçou, ainda, que entende a situação vivida por pessoas que dependem do trabalho diário para suprir necessidades básicas. “Eu cresci pobre e entendo essa realidade. Chamo os países a desenvolverem políticas que promovam proteções econômicas para as pessoas que não podem receber ou trabalhar nesse contexto”, escreveu, pedindo, ao final da mensagem, solidariedade. 

As postagens reiteram o discurso que fez à imprensa na segunda-feira (30/03), ocasião em que o diretor-geral da OMS  falou sobre os trabalhadores informais. Ele ressaltou que cada país é diferente e precisa respeitar e adaptar as medidas contra o coronavírus, além de chamar a atenção dos governantes para as populações mais carentes, que precisam trabalhar diariamente para comer. O chefe da OMS disse, ainda, que as ações governamentais precisam considerar as pessoas mais vulneráveis, “porque todo indivíduo importa”.

Jair Bolsonaro se aproveitou do tema para embasar o  discurso de normalização das atividades econômicas. Segundo Bolsonaro, Tedros falou “praticamente” que os informais “têm que trabalhar” durante a crise causada pela pandemia do coronavírus. No entanto, o presidente não contextualizou a fala e omitiu o recado dado aos governantes de que cabe a eles auxiliar com a promoção de políticas públicas. 

A recomendação da Organização Mundial da Saúde é de fortalecimento de medidas que promovam o distanciamento social, impeçam aglomerações e atividades que favoreçam a disseminação do vírus por meio do contato próximo de pessoas. 

 

FONTE ORIGINAL DA MATÉRIA: Correio Braziliense

Leia também!

I Encontro de Lideranças de Carreiras Públicas do SUS foi realizado

No dia 24 de maio de 2022 ocorreu o evento live "I Encontro de Lideranças de Carreiras Públicas do

Read More...

Transição Energética foi tema de evento realizado pela Agência Servidores

Mas afinal, o que falta para o Brasil estar acelerado de fato na transição energética ?  Esse foi o

Read More...

Reforma tributária: Sindireceita acompanha leitura de novo relatório da PEC 110 no Senado

O diretor de Assuntos Parlamentares do Sindireceita, Sergio Castro acompanhou, na manhã desta quarta-feira, dia 23, na Comissão de

Read More...

Mobile Sliding Menu