INSS alega falta de servidores em resposta ao STF sobre demora na concessão de benefícios

Carreira, Pelo País, Serviço Público

Órgão afirmou que há mais de 1,7 milhão de pessoas na fila. O maior número gira em torno de benefícios assistenciais, como o BPC, com o total de 757.566 pedidos em análise.

Após quase uma semana, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) respondeu ao Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a demora no atraso de concessões de benefícios. Na semana passada, o Supremo havia estabelecido um período de cinco dias para que o instituto respondesse sobre a demora em liberar os pedidos dos segurados mais do que o prazo limite a esses requerimentos. O órgão alegou que a falta de servidores e o aumento do número de pedidos provocaram esse tempo maior para atender os beneficiários da Previdência Social. Hoje, o órgão afirmou que há mais de 1,7 milhão de pessoas na fila.

O maior número de pedidos em análise diz respeito às solicitações de benefícios assistenciais, como o Benefício de Prestação Continuada (BPC), com o total de 757.566 pedidos em análise. Em seguida, aparecem os pedidos de aposentadoria, que totalizam 519.465 solicitações na fila.

Também há na fila pedidos de salário-maternidade (179.819), pensões (150.843) e benefícios por incapacidade (131.802).

O INSS afirmou que, ao longo do ano passado, três tipos de requerimentos estiveram com as respostas acima do prazo em todos os meses do ano. São eles: Auxílio-Doença com Documento Médico, Auxílio-Acidente e Benefício Assistencial à Pessoa com Deficiência.

“O que há em comum nesses três serviços é a necessidade de encaminhar 100% dos casos à Perícia Médica. Para o Benefício Assistencial à Pessoa com Deficiência há ainda outro procedimento obrigatório: envio do processo à área de Serviço Social”, disse o órgão.

No texto, o INSS argumentou que o instituto sofreu uma perda de servidores maior do que a esperada. O órgão disse que perdeu 5% da força de trabalho por causa de aposentadorias, mortes, pedidos de exoneração e demissão. No total, são cerca de 20 mil servidores, sendo 11,2 mil ocupando funções de analista ou técnico do seguro social. Para suprir a falta de funcionários, o órgão explicou que seria necessário repor quase 5 mil vagas. Para isso, é necessário a abertura de concurso público em uma solução a longo prazo.
Fonte: Jornal O DIA

Leia também!

Evento Live das Carreiras Públicas do SUS – Nesta terça, 8h30

No próximo dia 24 de maio ocorrerá de forma live o evento "Encontro de Lideranças das Carreiras Públicas do

Read More...

Transição Energética foi tema de evento realizado pela Agência Servidores

Mas afinal, o que falta para o Brasil estar acelerado de fato na transição energética ?  Esse foi o

Read More...

Reforma tributária: Sindireceita acompanha leitura de novo relatório da PEC 110 no Senado

O diretor de Assuntos Parlamentares do Sindireceita, Sergio Castro acompanhou, na manhã desta quarta-feira, dia 23, na Comissão de

Read More...

Mobile Sliding Menu