Pressão pode adiar análise da Reforma da Previdência de servidores do Rio de Janeiro

Carreira, Nas Câmaras Municipais, Serviço Público

O funcionalismo municipal do Rio de Janeiro organiza uma mobilização em frente à Câmara Municipal, na terça-feira, na tentativa de pressionar os vereadores e frear a votação da reforma previdenciária. Os servidores seguirão protocolos sanitários no ato e pretendem conseguir acesso às galerias da Casa para acompanhar a sessão. Até o momento, a expectativa é de que o projeto de capitalização do Funprevi vá ao plenário na data.

A proposta aumenta a alíquota previdenciária dos servidores ativos para 14% — além de aposentados e pensionistas que ganham acima do teto previdenciário (R$ 6.433,57). Pelo texto, a contribuição patronal (paga pelo Tesouro carioca) também subirá dos atuais 22% para 28%.

Para as categorias, o Executivo poderia lançar mão de outras medidas. Em nota, o Movimento Unificado em Defesa do Serviço Público Municipal (Mudspm) afirmou que “recebeu com indignação a informação sobre a votação” e reclamou de falta de diálogo com o governo.

 

FONTE ORIGINAL DA MATÉRIA: O Dia

Leia também!

Servidores precisam atualizar dados bancários no Sigepe para receber salário

Entre novembro de 2019 e de 2020, os bancos fecharam 1.444 agências no Brasil, volume 78% maior que nos

Read More...

Servidores públicos salvam o Brasil

Confira o artigo de Nylo Sérgio, presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Goiás (Sindipúblico): "Enquanto

Read More...

Governo Bolsonaro é alvo de 709 denúncias de ameaças, perseguições e constrangimentos a servidores

O governo Bolsonaro já foi alvo de 709 denúncias de assédio institucional. O levantamento é feito desde o ano passado

Read More...

Mobile Sliding Menu