Projeto de lei pode tornar o home office permanente para servidores de SC

Ações, Carreira, No Governo

Um projeto de lei para regulamentar o home office no Governo do Estado de Santa Catarina, que precisa passar pela Alesc, está às voltas com idas e vindas entre as secretarias estaduais. A proposta teve assinatura do então secretário Jorge Tasca, análise da Casa Civil, e tem um bom número de simpatizantes no Centro Administrativo. Mesmo assim, não foi adiante – na última movimentação, em 18 de março, a matéria voltou para a Secretaria de Estado da Administração.

O motivo do vaivém é porque o projeto altera o Estatuto do Servidor – e, por isso, será necessário consultar outros órgãos e poderes estaduais como Judiciário e Legislativo, que também serão afetados pela eventual mudança.

Economia

O principal argumento de quem defende a medida é a economia aos cofres públicos. A estimativa é que, ao regulamentar o trabalho remoto, o Estado poderia economizar pelo menos 50% do que gasta hoje com aluguel de imóveis – um desembolso de R$ 2,8 milhões ao mês somente com a locação, sem contar despesas de manutenção e condomínio. No governo federal, por exemplo, a adesão de 54 mil servidores ao teletrabalho gerou economia de R$ 1,4 bilhão no ano passado – entra na conta a redução de despesas como diárias, passagens, água e luz.

Produtividade

Informalmente, o home office já vem sendo adotado pelas secretarias estaduais em Santa Catarina para proteger a saúde dos servidores em meio ao agravamento da pandemia. A avaliação é que a produtividade do funcionalismo aumentou, especialmente pela carga horária. Em casa, os servidores estão mais tempo à disposição do que no horário de expediente, que é das 12h às 19h. O home office do serviço público já foi regulamentado por lei em estados como Espírito Santo e cidades como São Paulo.

 

FONTE ORIGINAL DA MATÉRIA: NSC Total

Leia também!

Servidores do Ministério da Saúde vacinam garimpeiros contra Covid em troca de ouro, afirma líder Yanomami

A Hutukura Associação Yanomami afirma que há suspeita de que servidores da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), órgão

Read More...

Câmara do Rio de Janeiro aprova aumento da alíquota de 11% para 14% para servidores municipais

Por 23 votos a 22, a Câmara dos Vereadores do Rio aprovou na noite de ontem, em discussão final,

Read More...

Servidores precisam atualizar dados bancários no Sigepe para receber salário

Entre novembro de 2019 e de 2020, os bancos fecharam 1.444 agências no Brasil, volume 78% maior que nos

Read More...

Mobile Sliding Menu