Reforma administrativa não pode perseguir servidor, diz Baleia Rossi

No Congresso, Serviço Público

O candidato à presidência da Câmara dos Deputados Baleia Rossi (MDB-SP) afirmou, nesta quinta-feira (28/1), que a reforma administrativa necessita de maior empenho do governo do que do Parlamento para aprovação. E destacou que a reformulação não pode ser centrada na perseguição do funcionário público. Ele, todavia, não deu qualquer prazo para pautar a matéria.

“Não podemos discutir reforma administrativa como ponto central perseguir funcionário público. Tivemos nessa pandemia a quebra de alguns preconceitos, em defesa do SUS [Sistema Único de Saúde]. Muito questionavam o SUS, criticavam o SUS e chegaram a falar em privatização do SUS, que é um absurdo completo”, disse Rossi a jornalista.

“Acho que a Câmara Federal precisa de uma reforma administrativa para que tenha mais recursos nas atividades fins que são saúde, educação e segurança. Mas a reforma administrativa depende muito mais do empenho e convicção do governo do que do Parlamento”, acrescentou.

Adversário de Rossi, Arthur Lira (PP-AL) afirmou, na quarta-feira (27/1), que pretende pautar ainda no primeiro trimestre a reforma, com modificações. Lira, todavia, não especificou quais alterações seriam essas.

 

FONTE ORIGINAL DA MATÉRIA: Metrópoles

Leia também!

Evento Live das Carreiras Públicas do SUS – Nesta terça, 8h30

No próximo dia 24 de maio ocorrerá de forma live o evento "Encontro de Lideranças das Carreiras Públicas do

Read More...

Transição Energética foi tema de evento realizado pela Agência Servidores

Mas afinal, o que falta para o Brasil estar acelerado de fato na transição energética ?  Esse foi o

Read More...

Reforma tributária: Sindireceita acompanha leitura de novo relatório da PEC 110 no Senado

O diretor de Assuntos Parlamentares do Sindireceita, Sergio Castro acompanhou, na manhã desta quarta-feira, dia 23, na Comissão de

Read More...

Mobile Sliding Menu