Servidores da Anvisa dizem que não vão tolerar pressões por vacinas

Ações, Entidades em Ação, No Governo, Serviço Público

A Associação dos Servidores da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) afirmou que os servidores não vão tolerar pressões no desempenho dos seus trabalhos e que as vacinas contra a covid-19 serão avaliadas segundo padrões técnicos e científicos.

O esclarecimento foi feito devido às recentes polêmicas envolvendo a compra da vacina Coronavac pelo Ministério da Saúde. A Coronavac é desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo.

“Independentemente de origem ou nacionalidade, os produtos serão avaliados dentro dos mais elevados padrões técnicos e científicos, com a finalidade de promover o acesso e proteger a saúde do povo brasileiro”, comunicou a Associação em nota.

Conforme a entidade, os servidores não irão tolerar quaisquer pressões de cunho político ou ideológico nos trabalhos. “Nesta oportunidade, manifestamos nosso apoio à diretoria colegiada da Anvisa, que vem se empenhando em favor da independência e autonomia da Agência.”

O órgão reforçou ainda o compromisso dos servidores da Anvisa em “manter a isenção, a integridade, a ética e a celeridade na análise dos processos regulatórios que envolvem os produtos destinados ao enfrentamento da pandemia pelo novo coronavírus”, disse.

 

FONTE ORIGINAL DA MATÉRIA: R7

Leia também!

STF rejeita pedido de suspensão da PEC que acaba com a estabilidade de servidores

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou, nesta terça-feira, pedido feito em ação para suspender

Read More...

Após várias mortes por Covid-19, servidores do Incra dizem que retorno ao presencial é assédio, atentado à saúde pública e tentativa de assassinato

Por meio de nota, a diretoria da Confederação Nacional dos servidores do Incra (Cnasi) - tomando por base as

Read More...

Unicamp adia retorno de até 80% dos servidores e 50% dos alunos para “observar evolução da pandemia”

A Unicamp decidiu na última quarta-feira (18) adiar de 30 de novembro para 14 de dezembro a etapa 4

Read More...

Mobile Sliding Menu