Servidores da UnB voltam a trabalhar presencialmente após quase dois anos

Ações, Serviço Público

Funcionários e estagiários da Universidade de Brasília retomaram as atividades presenciais na última terça-feira (7), um ano e nove meses após o decreto que as suspendeu e implantou quarentena no Distrito Federal. A medida diz respeito aos serviços das unidades administrativas da instituição, ou seja, áreas como as de segurança, saúde, limpeza e infraestrutura física da universidade, como obras e atividades de manutenção.

Estabelecimentos como a Biblioteca Central (BCE) e o Restaurante Universitário (RU), no campus Darcy Ribeiro, também voltam a funcionar de maneira integral e presencial, e estão de portas abertas a todos os funcionários, docentes e alunos da instituição, desde que apresentem o comprovante de vacinação e sigam as orientações sanitárias de prevenção à covid-19 recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como o uso de máscaras e o distanciamento social.

Foi feita ainda uma pesquisa social para avaliar a situação vacinal de estudantes, professores e técnicos da UnB, e de acordo com ela, 98% dos estudantes estão vacinados com pelo menos uma dose, para os professores essa porcentagem vai para 99% e, para os técnicos, 97%, o que contribuiu para o Conselho determinar o retorno presencial do trabalho. De acordo com a resolução, ainda trabalharão de forma remota os servidores que apresentam condições de risco como obesos, tabagistas, gestantes e os com idade igual ou superior a 60 anos.

O retorno foi aprovado em uma resolução do Conselho de Administração (CAD) assinada22 de novembro, que estabeleceu as condições e normas para o retorno presencial dos servidores, em concordância com a Instrução Normativa 90 do Ministério da Economia, o Plano Geral de Retomada das Atividades da UnB e o Guia de Biossegurança, além dos Planos de Contingência estabelecidos por cada unidade acadêmica ou administrativa.

Vale lembrar que a retomada das atividades acadêmicas não é uma decisão a ser tomada pelo CAD, mas pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe), que aprovou uma resolução sobre oferta de disciplinas presenciais em 4 de novembro.

Mesmo assim, alguns servidores defendem que as medidas valham para as unidades acadêmicas também. Laudimar Oliveira, diretor da Faculdade de Ciências da Saúde, sugeriu que todos os espaços fechados da instituição deveriam exigir o uso de máscara e comprovante de vacinação, principalmente pelo fato de muitos estudantes usarem transporte público e frequentarem vários espaços de diferentes cursos. “Eu entendo que o regimento interno diz que as unidades devem ter autonomia, mas a pandemia não está prevista no regimento e estamos vivendo uma excepcionalidade”, afirmou.

 

FONTE ORIGINAL DA MATÉRIA: Correio Braziliense

Leia também!

Evento Live das Carreiras Públicas do SUS – Nesta terça, 8h30

No próximo dia 24 de maio ocorrerá de forma live o evento "Encontro de Lideranças das Carreiras Públicas do

Read More...

Transição Energética foi tema de evento realizado pela Agência Servidores

Mas afinal, o que falta para o Brasil estar acelerado de fato na transição energética ?  Esse foi o

Read More...

Reforma tributária: Sindireceita acompanha leitura de novo relatório da PEC 110 no Senado

O diretor de Assuntos Parlamentares do Sindireceita, Sergio Castro acompanhou, na manhã desta quarta-feira, dia 23, na Comissão de

Read More...

Mobile Sliding Menu