CNM: municípios podem cobrar vacinação contra covid de servidores

Ações, Campanhas, Pelo País

Com o avanço da vacinação contra a covid-19 em todo o país, muitos trabalhadores que estavam atuando de casa durante a pandemia estão retornando aos ambientes de trabalho. No setor público, a vacina já está sendo cobrada por várias prefeituras como pré-requisito para a volta de servidores.

Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) apontou que 235 cidades já adotaram ou pretendem adotar essa exigência. O número equivale a 20% das prefeituras que responderam ao questionário da entidade, entre elas, as de São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis e Porto Velho.

Segundo Eduardo Stranz, que é consultor da área de estudos técnicos da CNM, a obrigatoriedade da vacina contra covid-19 para servidores retornarem ao trabalho presencial é uma prática que deverá ser adotada cada vez mais pelos municípios.

De acordo com o levantamento da CNM, mais da metade dos municípios que adotaram ou pretendem adotar essa prática responderam que vão punir os servidores que se recusarem a tomar a vacina. As sanções previstas pelas prefeituras vão desde o corte do ponto até a instalação de processos administrativos, que podem levar à exoneração do funcionário público.

Na avaliação do advogado Ricardo Barreto, que é doutor em direito do estado pela Universidade de Brasília, os municípios que obrigarem os servidores a se vacinar contra a covid-19 e punirem quem desobedecer a regra estarão agindo dentro da legalidade e da Constituição Federal.

Por outro lado, o professor de direito administrativo Frederico Afonso explica que as punições aos servidores precisam encontrar respaldo jurídico nos estatutos e leis dos municípios. As cidades que não tiverem essa previsão precisam submeter a exigência à aprovação das câmaras municipais.

A pesquisa da Confederação Nacional dos Municípios ouviu 2,383 prefeituras de todo o país, entre os dias 9 e 12 de agosto. O levantamento também apontou que 37% das cidades já estão vacinando jovens na faixa de 18 a 24 anos de idade contra a covid-19.

 

FONTE ORIGINAL DA MATÉRIA: Radioagência Nacional

Leia também!

PLC que prevê ajuste nas contas e muda regras de servidores do Rio de Janeiro deve sair da pauta da Câmara

Apesar de previsto para entrar na pauta de amanhã da Câmara de Vereadores, o Novo Regime Fiscal do Município

Read More...

Reforma administrativa: relator reinclui corte de salário de servidores na crise

O relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32/20, a Reforma Administrativa, deputado Arthur Maia (DEM-BA), manteve em

Read More...

Servidores denunciam ao Cremesp aumento de licenças médicas negadas desde que Prefeitura de SP terceirizou perícias

Servidores denunciaram nesta terça-feira (21) ao Conselho Regional de Medicina do Estado (Cremesp) enfrentarem dificuldades para obter licenças médicas

Read More...

Mobile Sliding Menu