Servidores do ICMBio são rendidos por garimpeiros com fuzis em Roraima

Ações, Pelo País, Serviço Público

Servidores do ICMBio que atuavam na Estação Ecológica de Maracá, em Roraima, foram rendidos e ameaçados por um grupo de garimpeiros armados com fuzis na tarde da segunda-feira (31).

Segundo uma denúncia que circula entre funcionários da autarquia, oito criminosos entraram na unidade encapuzados por volta das 16h, renderam três brigadistas, roubaram equipamentos e veículos e ameaçaram queimar viaturas do ICMBio caso as encontrassem. Também foi relatado que os garimpeiros “buscavam agentes de fiscalização” e afirmaram “estar monitorando todos os servidores”.

Em nota, o ICMBio afirmou que “a Polícia Federal foi acionada e já está com investigação em andamento, contando com apoio integral do ICMBio e demais órgãos governamentais”, mas não confirmou demais detalhes do que foi roubado da unidade, o número de invasores ou quaisquer circunstâncias acerca do ocorrido.

A PF afirmou na tarde desta terça-feira 01 que “abriu inquérito para apurar os fatos e que descolou para o local uma equipe de policiais federais acompanhados de servidores do ICMBIO”.

Ainda de acordo com a denúncia, os brigadistas tiveram que levar os equipamentos até o porto, onde foram liberados. Após comunicação com a equipe, os brigadistas teriam fugido para a floresta enquanto ” o chefe do ICMBio em Roraima fazia articulações de emergência para garantir a integridade deles”, diz o texto.

Os criminosos teriam seguido no Rio Uraricoera, que margeia a unidade e dá acesso à Terra Indígena Yanomami e às áreas de garimpo ilegal da região, já palco de conflitos nas últimas semanas.

No dia 16 de maio, um grupo de garimpeiros realizou o segundo ataque em uma semana à comunidade de Palimiú. Os yanomami registraram cerca de 15 barcos com garimpeiros que, “além dos tiros”, estariam atirando bombas de efeito moral em direção à comunidade. A Hutukara Associação Yanomami afirma que existem ao menos até 20 mil garimpeiros no território atualmente.

O presidente Jair Bolsonaro, um defensor da legalização da mineração e do garimpo em terras indígenas, esteve reunido com Yanomamis na cidade de São Gabriel da Cachoeira (AM) no último fim de semana. Em vídeo publicado nas redes sociais, ele diz que o projeto atual “é etnia, quem desejar explorar, explora”, referindo-se a grupos de indígenas alinhados aos interesses do garimpo.

 

FONTE ORIGINAL DA MATÉRIA: CartaCapital

Leia também!

Para servidor, Pazuello fez “pressão atípica” em favor de vacina mais cara

A CPI da Covid no Senado investiga nesta semana em que circunstâncias ocorreram os contratos de importação da vacina

Read More...

Pará: Semana de Inovação 2021 terá transmissão ao vivo de 28 a 30 deste mês de junho

A segunda Semana de Inovação em Gestão Pública da Escola de Governança Pública do Estado do Pará (EGPA) já

Read More...

Sindilegis e entidades intensificam ações contra a PEC da Rachadinha

Três audiências virtuais com parlamentares, representação no TCU e ofícios direcionados ao presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP/AL).

Read More...

Mobile Sliding Menu